.

.

.

Trilhas Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros | Viajando com Sy Trilhas Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros - Viajando com Sy

Trilhas Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Trilhas Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Por  | 
0 Comentários

Trilhas Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Minha segunda vez na Chapada dos Veadeiros escolhi o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros para desbravar as trilhas com a mesma agencia da primeira vez, a Ecorotas. Na  verdade eu não escolhi sozinha, pois eu e Lily já tínhamos feitos a maioria das top 10 cachoeiras da chapada e nenhuma das duas havia feito o parque.

Para dicas gerais da Chapada dos Veadeiros temos um guia completo de como chegar, onde, ficar, restaurantes e o meu primeiro roteiro.  

Para acompanhar nossas viagens em tempo real siga nosso instagram:

@ViajandocomSy

Veja aqui o melhor preço para sua hospedagem na Chapada dos Veadeiros.

Sugerimos a leitura de Chapada dos Veadeiros DICAS GERAIS, para saber como chegar, onde montar base, trilhas e qual cachoeira combinar com a outra.

Sugestões diferentes de hospedagem:

Pousada Casa da Lua

Minha experienca na Pousada casa da Lua

Paraiso dos Pândavas

Sugerimos também ler:

Cachoeira santa Barbara, o diamante azul da Chapada.

Cachoeira do Segredo

Cataratas dos Couros

Cachoeira dos Macaquinhos

Vale da Lua

Desta vez fomos eu e Lily do www.apaixonadosporviagens.com.br , que vocês já conhecem de outros carnavais, pois sempre viajamos juntas.

Nossa hospedagem foi uma nova experiência, uma experiência transcendental rrsss… ficamos na Pousada Paraíso dos Pândavas , com pensão completa e muito sossego.

Desta vez nosso roteiro foi:

Trilha dos Cânions e Carioquinhas/ Termas do Morro vermelho

Trilha dos Saltos e corredeiras /Cachoeira São Bento

Trilha para Cachoeira do Paraíso dos Pândavas

Do outra vez meu roteiro foi:

Cachoeira dos Cristais

Cachoeira santa Barbara/ Capivara/ Barbarinha

Cataratas dos Couros

Cachoeira do Macaquinho/ Vale da Lua

Cachoeira dos Segredo

Como chegar

Chegamos ao aeroporto de Brasília e locamos um carro que estava reservado na Rents a Car e seguimos para a Pousada Paraíso dos Pândavas, cerca de 3 horas(270 km). Infelizmente o dia estava nublado e chuvoso. Chegamos por volta de 13:00 almoçamos e fomos dar uma volta na propriedade, pois a cachoeira Almecegas que ficava a 10 minutos estava fechada devido ao mal tempo. Todos os detalhes de como chegar está no post dicas da Chapada dos Veadeiros.  

Melhor época para ir

Fui da outra vez em junho, agua fria, mas sem chuva e agora fomos fim de outubro e dos 04 dias, sendo 02 dias ½ com chuva e 01 dia apenas um foi de sol, o outro dia nublado com chuva. Leia Aqui e veja os meses com pros e contras detalhadamente.

Onde fica o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Fica na Vila de São Jorge. Chegando na Vila entre a direita e siga as placas, a vila é de terra e a estrada para o parque também, 1k do centro da Vila,cerca de 10 minutos estará no estacionamento do Parque.

 

Trilha com ou sem Guia

As trilhas do Parque Nacional da chapada dos Veadeiros são feitas com ou sem guia. Nós fizemos todas com o Guia Pequeno da Ecorotas. Da outra vez, eu fiz todas também com a Ecorotas e recomendo. O dinheiro do guia pode ser divido pelo grupo e pra mim é o melhor jeito de aproveitar cada cantinho diferente das cachoeiras com segurança. Desta vez fomos eu e Lily, duas mulheres e eu não abriria mão de um guia. Enfrentamos chuva por 3 km e só continuamos, pois estávamos acompanhadas de um guia.

Para entrar no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros você preenche um termo de responsabilidade.

Trilhas do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

As duas principais trilhas são as que eu e Lily escolhemos, mas também a Sete Quedas.

Marcamos com nosso Guia Pequeno da Ecorotas na portaria do parque as 8:30, lá preenchemos o formulário, assinamos, usamos o banheiro, pois se quiser banheiro ali é a hora, munidas de tudo, mochila nas costas iniciamos nossa trilha

  Trilha dos Cânions e Carioquinhas

Rio: Rio Preto

Entrada: Gratuita, mas tem limite de pessoas. Chegue cedo em alta temporada.

Horário: Entrada de 8:00 as 12:00 e tem que sair até as 18:00

Nível de dificuldade: Moderado à difícil

Distancia: aproximadamente 12 k ida e volta

Tempo gasto: em média de 4 a 6 horas

O que levar: boné, filtro solar, repelente, ir de biquíni, lanche e barrinha de cereais com chocolate para repor as energias.

Importante: 1,5 l de agua por pessoa a 2 litros

Calçado: Usar tênis próprio para trilhas ou botas treking para evitar acidentes. Tem muitas pedras e declives, por isso o calçado tem que aderir. Levo também um tipo de crocks para entrar nas cachus, pois não piso no fundo que não enxergo kkkkk…Fresca né!

Roupa: Use roupas confortáveis, ou short, ou legging e camiseta. Eu sempre levo uma camiseta extra para não voltar molhada.

  Agora com todas as dicas, vamos entrar na mata. O dia estava lindo, muito sol, então escolhemos essa trilha, pois tinha mais paradas para banho e acertamos em cheio, pois no outro dia, São Pedro despejou agua com vontade.

A trilha foi bem tranquila, com algumas subidas e descidas, mas de boa… bom, isso seria tudo de bom se não tivéssemos levado pouca agua. Pode acreditar, levamos uma garrafinha de 250 ml cada uma. Eu sei que vai dizer, essas meninas nunca fizeram trilha? Então, sem os maridos que carregavam as mochilas com as garrafas de 1,5 l, não, kkkkk. Gente vocês nem imaginam o sofrimento que foi, praticamente passamos sede, juro que nunca tinha passado por isso na minha vida. Se não fosse nosso guia Pequeno que levou 04, nos iriamos ter que beber agua do Rio Preto, kkk. Pequeno dividiu sua agua conosco, ele foi um gentleman!

Já chegando nos cânions nos estávamos na economia da agua, imagina como foi o resto da trilha, mas as belezas nos faziam esquecer e os clicks eram muitos.

Pequeno nos contava a história e mostrava as plantas, a mais interessante pra mim foi a que era usada peles garimpeiros como papel higiênico, a orelha de carneiro. Muito legal conhecer tudo, esse conhecimento e os cantinhos que Pequeno nos levava nas cachoeiras, além da agua sobressalente que ele levou, fez toda a diferença em ter ou não um guia.

Já nos cânions as fotos foram muitas, inúmeros cliques e muita altura. Fomos para os Cânions I, perfeito o lugar.

Depois, seguimos para o primeiro banho que é no poço mais embaixo dos Cânions. Eu fui fazer meu lanche sentado nas pedras embaixo de uma sombrinha e Lily foi se refrescar. Confesso que fiquei com preguiça de vestir toda a roupa de novo e seguir a trilha para a

Cachoeira Carioquinha.

Seguindo mais um pouco, uma trilha de pedras e depois uma descida meio punk, chegamos à Cachoeira Carioquinha. Tudo que sobe desce né, a subida foi punk 2!

cachoeira carioquinha

Imponente e maravilhosa! Em vários níveis, cada queda com um poço incrível. A agua é bem escura, pois como disse é o Rio Preto.

Deixamos a mochila sobre a pedra, eu calcei o meu crocks e fomos desbravar a cachu. Pequeno achou o poço top, bem difícil de chegar, mas com uma mãozinha dele, nós conseguimos. Lembrando que todo cuidado é pouco, tudo era muito escorregadio, embaixo de mim vi uma moça pranchar na pedra, eu sempre ando parcialmente agachada na pedra, quanto mais próximo da pedra menor é a queda, né pessoal.

Fomos também banhar num poço acima desse. Gente que delícia! A agua estava muito boa, sei que vão achar que estou brincando, porque nos outros posts da Chapada dos Veadeiros não citei nenhuma cachoeira que não fosse gelada, fria, ou congelante. Talvez seja a época, eu não sei, mas o calor também estava demais.

A queda mais difícil de chegar foi essa que vou pôr a foto aqui, tem que saber nadar. Atravessamos o rio só com a Gopro e praticamente escalamos as pedras para chegar lá. Em pé pra chegar nessa queda não funciona, agache mesmo e se arraste, é puro lodo e se você cair vai despencar mesmo lá embaixo.

Fizemos altas fotos ali, pedindo licença, pois quem chegou lá queria foto debaixo da queda. Na verdade só depois que Pequeno foi lá (antes de nos levar ele foi lá, pulou lá de cima e tudo mais) é que as pessoas que estavam sem guia foram, a maioria chegavam no Pequeno e pediam dicas. Quem vai sem guia, não sabe até onde pode chegar. Eu não acharia o poço e nem iria até essa queda se não fosse por ele.

Depois do banho, mais um lanchinho, já sem agua nesse momento, estávamos dividindo uma garrafinha de Pequeno e nos ainda tínhamos a metade do caminho para chegar até sede. Uns 5 km acredito.

Amigos, foi muito hard esses quilômetros. Sol, sem agua, nunca soube na minha vida o que era passar sede antes desse dia. Os últimos 2 KM não tínhamos mais agua, somente Pequeno tinha um pouco e não iriamos pegar a dele, pois ele já tinha feito muito por nós. Reduzimos o consumo dele de agua pela metade, coitado. Ele nunca pegou umas meninas loucas assim…. kkkkk

 

Enfim chegamos à sede e bebi tudo que tinha no bebedouro rrrrsss… e na entrada do parque eu bebi um litro de suco de tamarindo feito na hora,estava delicioso. Foi R$10,00. Eu me esqueci qual foi o sabor que Lily escolheu, mas ele tinha vários sabores.

Finalizamos ali a primeira trilha com esforço e louvor. Acho que eram 16:00 hs e resolvemos conhecer Termas do Morro Vermelho, que era mais adiante da Vila de São Jorge. Pequeno ficou na vila e nós seguimos para as termas que fechava as 22:00hs.

Dia 2

Trilha dos Saltos e Corredeiras

Em um dia de chuva fizemos a Trilha dos Saltos e Corredeiras, mas foi meio tenso, pois teve hora que choveu com vontade.

Sobre a trilha:

 Rio: Rio Preto

Entrada: Gratuita, mas tem limite de pessoas. Chegue cedo em alta temporada.

Horário: Entrada de 8:00 as 12:00 e tem que sair até as 17:00

Nível de dificuldade: Moderado

Distancia: aproximadamente 10 k ida e volta

Tempo gasto: em média de 4 a 6 horas

O que levar: boné, filtro solar, repelente, ir de biquíni, lanche e barrinha de cereais com chocolate para repor as energias.

Importante: 1,5 l de agua por pessoa a 2 litros

Calçado: Usar tênis própria para trilhas ou botas treking para evitar acidentes. Tem muitas pedras e declives, por isso o calçado tem que aderir. Levo também um tipo de crocks para entrar nas cachus, pois não piso no fundo que não enxergo kkkkk…Fresca né!

Roupa: Use roupas confortáveis, ou short, ou legging e camiseta. Eu sempre levo uma camiseta extra para não voltar molhada.

Marcamos novamente as 8:30 com Pequeno da Ecorotas e iniciamos a trilha desta vez munidas de muita agua, com 1,5 l cada uma e Pequeno ainda levou mais 02 garrafinhas extras para nós por precaução kkkk. Só que nesse dia, choveu e a trilha foi mais leve, então voltamos com muita agua na mochila rrssss.

Quando entramos na mata estava um leve solzinho e muitas nuvens, que logo tamparam o sol.

A trilha foi bem fácil, bem mais fácil que a dos Cânions e Carioquinhas. Apenas a subida da volta dos Saltos foi pesada, o resto é muito plano.

Até certo ponto a trilha é a mesma que fizemos para os cânions, na placa elas se separam. A trilha é sinalizada.

Seguimos então para os Saltos. Fique atento para contemplar primeiro os Saltos de 120 para depois descer para o de 80, onde você poderá nadar.

Não tem escrito na placa saltos de 120, por isso fique atento.

Chegamos no salto de 120 e ficamos encantadas com a paisagem. Muito bonito. O lugar é todo cercado, pois é muito perigoso, porém muitos passam por baixo em busca da selfie perfeita, e ai os acidentes acontecem. Uma pena isso!

Continuamos a descida para os Saltos de 80 e o tempo já estava totalmente nublado. Aqui a descida é brava e tem que ter muito cuidado.

Lá em baixo uma prainha deliciosa para banho e nesse momento já estávamos preparadas para um banho senão fosse a chuva, que depois das fotos despencou. Uma pena mesmo, o lugar tinha muitas pedras, mas a prainha era linda.

Gente eu tenho muito medo de tromba d agua, eu juro! Esse medo me fez ter muita vontade de sair dali. Lily até queria se banhar, mas eu acho que insisti muito para subirmos.

E ai subimos debaixo de muita agua, a subida mais difícil da trilha é nesse trecho, que inclusive tem bancos para as pessoas descansarem. Nesse momento estávamos com fome, mas nem nos bancos tinha como sentar, era muita agua caindo.

Chegando no topo e tinhamos a opção de voltar ou seguir para as Corredeiras. Eu votei para voltarmos, não por estar molhando, mas por medo de raios. Sei que estar em um lugar descampado ou debaixo de arvore é muito perigosose tivesse uma tempestade de raio, porém Pequeno nos tranquilizou e seguimos para as Corredeiras em uma trilha ampla e bem fácil.

Nas Corredeiras foi inaugurado recentemente um tablado e estacionamento para receber deficientes físicos.

Tinha tambpem uma trilha suspensa de madeira que o cadeirante pode chegar até na beirada.

Basta entrar em contato com o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que uma equipe munida de carros 4×4 organiza sua ida até as Corredeiras.

Bom…chegamos lá literalmente ensopadas e com muito frio, pois o vento estava frio e as roupas molhadas.

Nesse momento a chuva cedeu um pouco e eu com muita fome e frio sentei numa beirada, tirei a blusa que estava muito molhada e me enrolei em uma canga que sempre levo na mochila e fui lanchar.  Não queria me molhar mais e não tomei coragem de entrar na agua, mas Lily foi e fez altas fotos e acredite, disse que a agua estava quentinha.

Gente eu batia queixo literalmente e não fui.

Mas, vou botar aqui umas fotos que Pequeno tirou de Lily. Pequeno a essa altura já estava ficando craque nas fotografias, kkkk

 A chuva foi começando de novo e nos já havíamos lanchado, porém agora além da blusa a canga estava molhada rrss… Fomos para a trilha e mesmo a caminhada não esquentava o corpo, pois o vento com roupa molhada e a chuva caindo era um frio só.

Chegamos cedo na recepção do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, creio que umas 14:00 e com muita agua na mochila, rrrsss….

Como estava cedo fomos para Alto Paraiso tentar conhecer as Loquinhas, já que a chuva tinha dado trégua. Acredita que tinha uma placa no portão: Fechado, Motivo Chuva.  

Essas são as desvantagens de ir na época de chuva.

Para não perder a viagem para Alto Paraíso fomos tentar comer um pastel famosinho por lá, mas só as 18:00 a cozinha abria. Então comemos umas fatias de pizzas que estavam deliciosas e seguimos novamente sentido São Jorge para tentar visitar Almecegas 2 ou São Bento, pois Almecegas 1 era muito distante e já estava tarde. Visitamos a São Bento e voltamos para à Pousada Paraíso dos Pândavas Yoga Resort tomamos um banho correndo e fomos jantar na Risoteria Santo Cerrado, pela segunda vez, tanto eu quanto Lily, não deixem de ir!

Um beijão para vocês e leia o nosso DICAS GERAIS DA CHAPADA DOS VEADEIROS.

E aí, Gostou? ou vai dizer: Migas, suas Lokas kkkkk

Se for fazer trilha, cuide da natureza.

Não deixe nada, apenas pegadas.

Não leve nada, apenas recordações e altas fotos.

Planeje sua viagem com os parceiros do blog!

Faça sua reserva através dos nossos links e ajude a manter o blog no ar sem pagar nada a mais por isso:

Reserve o seu hotel através do Booking!

Compre o seu seguro viagem na Seguros Promo!

Reserve seu carro com a Rentcars!

Share
Sy

Amo viajar e você ? Leia minhas experiências de viagens e se inspire! Transforme seu sonho em realidade!­ Beijos Sy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

­

multgold.com

­